InícioGrupo EspecialCARNAVALESCO visita Beija-Flor e analisa sambas concorrentes para o Carnaval 2024

CARNAVALESCO visita Beija-Flor e analisa sambas concorrentes para o Carnaval 2024

A equipe do site CARNAVALESCO esteve na quadra da Beija-Flor e acompanhou a primeira eliminatória com corte de samba, após a gravação das 10 parcerias na voz do intérprete Neguinho da Beija-Flor. Estaremos em todas etapas até a final no dia 05 de outubro, como faremos nas demais escolas do Grupo Especial. Abaixo, você confere os vídeos das apresentações da última quinta-feira. Nove seguem na disputa. A parceria de Picolé foi eliminada.

No próximo ano, a Beija-Flor será a segunda escola a desfilar no domingo de Carnaval, dia 11 de fevereiro, com o enredo “Um delírio de Carnaval na Maceió de Rás Gonguila”, desenvolvido pelo carnavalesco João Vitor. * OUÇA AQUI OS SAMBAS DE 2024

Parceria de Nurynho Almawi: A primeira parceria da noite foi composta por Nurynho Almawi, João Fernandes, Marcio Oliveira, Professora Tania, Gylnei Bueno e Professora Marli Jane. A parceria contou com um número reduzido de torcedores, porém empolgados. Levaram uma faixa grande com dizeres da obra. O samba foi bem condizido por Dowglas Diniz, intérprete da Mangueira. Apesar da condução segura e potente dos cantores junto ao Dowglas Diniz, o samba não animou. O início do refrão de cabeça “Sou comunidade não dá pra negar” até jogava um pouco a galera para cima, mas logo depois caia. Um ponto alto do samba na apresentação foi a variação melódica na primeira parte “Quando em barcas distantes, um certo errante sente a maresia” se tornando prazeroso de ouvir. O samba não teve adesão dos segmentos da escola. Era possível ver um ou outro cantando o samba.

Parceria de Serginho Sumaré: O segundo samba da noite foi composto por Serginho Sumaré, Xande Ribeiro, Neilson Oliveira, André do Cavaco, Filipe Zizou e Ali Gringojabr. Apesar do número reduzido de torcedores, os que estavam lá estavam com o samba na ponta da língua e fizeram bonito. Evandro Malandro e Nino do Milênio formaram a dupla de intérpretes e fizeram bonito. O samba passou com o refrão principal bem e o segundo refrão que é fácil de cantar também muito bem. Porém, a obra caia tanto na primeira parte dele e também na segunda parte especialmente na quebra melódica em “na tribo de judá”. A parte “A corte Nilopolitana, chega exaltando” levantava a galera. Foi possivel notar alguns segmentos cantanto algumas partes do samba.

Parceria de Junior PQD: O terceiro samba da noite foi composto por Junior PQD, Rodrigo Tinta, Márcio França, Nando Souza, Robinho Donozo e JC Saraiva. A torcida começou dando um show trazendo Rás Gomguila e até fogo. Foi uma grande apresentação e encenação. O samba foi conduzido por Ronaldo, que pertence ao carro de som da Beija-Flor, e ele mostrou que tem muito talento, pois teve uma atuação bem segura e potente. O refrão principal animou os torcedores e algumas pessoas que estavam assistindo. Em compensação o segundo refrão não funcionou como o primeiro, talvez, pelo fato dele ser um pouco longo nos dois últimos versos. Um outro destaque na apresentação foi a cabeça do samba “Benedito nasceu destinado” até “ouviu memórias da cultura africana”. Alguns segmentos como as baianas, por exemplo, esboçavam alguma reação na apresentação do samba.

Parceria de Alencar de Oliveira: Chegou a vez do quarto samba que foi composto por Alencar de Oliveira, Léo de Oliveira, Serginho do Porto e Andre Fullgaz. A torcida do samba estava em um número reduzido, porém animada e cantando os refrãos da obra. Serginho do Porto conduziu de forma correta e pulsante e contou com o apoio de luxo de Lissandra. O ponto alto do samba foi sem dúvida o refrão do meio, embalado pela boa melodia. A primeira parte do samba caia e arrastava. A segunda parte do samba tinha uma melodia que facilitou o canto e foi bem superior a primeira. O samba não teve muita adesão dos segmentos e dos torcedores de fora da parceria.

Parceria de Moisés Silva: A gente parceria a se apresentar foi composto por Moises Silva, Eliezer Setton, Kadinho da Ilha, Almir Sereno, Marcelo 100 e Leo Berê. O samba contou com pouquissimos torcedores e foi condizido de forma bem e correta por Leonardo Bessa. A apresentação não pegou e foi morna. Apesas de excessivas repetições de “quem será” no refrão principal foi uma das partes mais cantadas por alguns integrantes da harmonia da escola. O ápise da apresentação foi sem dúvida o segundo refrão que contava com uma pegada maos divertida. Foi possivel notar alguns integrantes da harmonia cantarolando o samba.

Parceria de Junior Trindade: A sétima parceria a se apresentar foi composta por Junior Trindade, Rômulo Presidente, Gilberto Oliveira, Samir Trindade, Robinho, Thiago Portela. O samba contou uma imensa e apaixonada torcida e que fez muito barulho e empurrou a obra a todo momento. Wander Pires, Marquinho Art samba e Tiganá deram o recado e não deixaram cair o samba em nenhum momento. A cabeça da obra foi um dos principais destaques na apresentação. Outro grande destaque foi na variação melódica na segunda parte do samba no verso “Protegido por meu pai, pra xangô eu vou rezar” era notório a raça de todos cantando essa parte. O refrão principal, sem dúvida, foi de grande impacto, pois todos cantavam bastante. Outro ponto importante foi a chamada para o refrão de cabeça que foi uma avalanche na quadra “Não é delírio algum, a minha escola campeã de novo”. Foi possível notar alguns ssgmentos cantando o samba, como bateria, harmonia e baianas.

Parceria de Léo do Piso: Oitavo a se apresentar na noite dessa quinta foi composto por Léo do Piso, Diego Oliveira, Diogo Rosa, Julio Assis, Manolo e Wilson Tatá. A torcida da parceria foi avassaladora e empurrou demais o samba, contando com muitas crianças também. Tinga e Pitty mandaram bem demais e ainda contavam apoios fortes de TemTem Jr e Rafael Tinguinha. A apresentação começou muito forte e se manteve assim até o final. Contou com efeitos especiais em cada virada da obra. Os primeiros versos passaram muita força. Após a cabeça do samba tem uma virada melódica gostosa que ajudou para manter o excelente desempenho: “Vida é fieira, quem pode gongar”. Assim como na apresentação anterior, a parceria contava com o trunfo da chamada para o refrão principal “quem nasceu pra vencer não escolhe a missão, tem na veia a coragem e axé no coração”. O refrão principal foi excelente e muito cantado por todos ao redor. Foi possível notar alguns integrantes da bateria cantando bastante, além de algumas baianas e muitos diretores de harmonia.

Parceria de Sidney de Pilares: Penúltimo samba que se apresentou, a parceria foi composta por Sidney de Pilares, Jorginho Moreira, Orlando Ambrósio, Lico Monteiro, Claudio Gladiador e Ailson Picanço. A torcida também foi grande para a parcerka 39. Zé Paulo foi muito bem na condução do samba, contando com um time de apoios de respeito, como Thiago Acacio, intérprete do Arranco. O samba foi potente do início ao fim, empolgando os torcedores. Os compositores tiveram a sacada de trazer “Ê pajuçara! Ê pajuçara” duas vezes e deu certo na quadra, pois foi um dos pontos fortes da apresentação. O refrão de cabeça foi vibrante e passou bem demais na quadra. Foi possível notar alguns diretores de harmonia cantando o samba da parceria.

Parceria de Kirraizinho: Último samba da noite de quinta foi composto por Kirraizinho, Lucas Gringo, Wilsinho Paz, Venir Vieira, Marquinhos Beija-Flor e Dr Rogerio. A torcida também deu um show de animação, com algumas coreografias voltadas para o enredo. A animação não ficou só com a torcida, pois Emerson Dias, Igor Vianna e Charles Silva mandaram bem demais na condução do palco. A obra não tinha uma melodia tão fácil na primeira parte do samba e exigiu dos intérpretes que eles segurassem e foi o que aconteceu. O segundo refrão era muito bom e levantava a galera, pois era muito fácil de ser cantado. Na saída do segundo refrão tem um verso que não cabe na métrica “Gira-mundo feito pião que gonguila do jeito”. Mas isso não apagou a apresentação da parceria que foi boa. Vale citar a frase de efeito que embala o início do refrão de cabeça “Aqui é Beija-Flor doa a quem doer”. Alguns diretores de harmonia cantavam o samba mesmo que de forma tímida, mas cantavam.

- ads-

Ao vivo: sorteio da ordem dos desfiles do Grupo Especial do Rio

https://www.youtube.com/watch?v=OPepqf6oZ_4

Primeiro casal da Mocidade Independente de Padre Miguel tem nova coreógrafa para o Carnaval 2025

A Mocidade Independente de Padre Miguel anunciou nesta quinta-feira (23) a contratação de uma nova coreógrafa para o primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira,...

Em busca do bi da Viradouro, Julinho espera repetir encerramento dos desfiles, enquanto Priscilla Mota não tem posição preferida

Campeã do Carnaval de 2025, a Viradouro vem em busca do bicampeonato. Com enredo já anunciado, a escola quer agora saber em que posição...