InícioGrupo EspecialViradouroCaminho da consagração! Força e vibração marcam ensaio da Viradouro

Caminho da consagração! Força e vibração marcam ensaio da Viradouro

Por Fiel Matola

O ensaio de rua da Viradouro, neste domingo, foi mais uma prova do que a escola está se preparando para realizar um grande desfile no domingo de carnaval. Força e vibração são sinônimos do que se viu no treino. No dia de São Sebastião, quem olhava para o céu da cidade de Niterói, poderia jurar que seria um ensaio debaixo d’água, e mesmo sob um prenúncio de uma tempestade, os componentes foram em peso para a Avenida Amaral Peixoto. O ensaio, que teve duração de aproximadamente 50 minutos demonstrou uma Viradouro “ressurgindo das cinzas”, como o próprio enredo revela. É importante afirmar e frisar que a Vermelho e Branco está no nível das grandes potências para o Carnaval 2019 do Grupo Especial. (Fotos: Carlos Papacena)

A abertura foi com um canto a São Sebastião, entoado por José Paulo, integrante do caro de som e xará do intérprete da escola da Cidade Sorriso. O cantor Zé Paulo iniciou sua participação com seu grito de guerra, além de cantar os sambas: 2014 (“Orgulho de ser Niterói”), exaltação da escola (“O sol nascerá”), e a obra campeã de 2018 (“Vira Cabeça, pira o Coração”). Marcelo Calil , patrono da escola, pediu ao componente garra e animação.

Comissão de Frente

Comandada por Alex Neoral, a comissão de frente apresentou uma coreografia de passada de samba. Foi observada uma marcação no samba, que deixou o público bastante empolgado. Muitos segredos estão por vir, mas os passos sincronizados e a força da comissão, já fizeram diferença, apresentando a escola e já animando o ensaio.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

Julinho e Rute iniciaram o bailado com bastante leveza. O casal não teve problema nenhum na ensaio. Um vento forte passou no momento em que a dupla se apresentava no que seria a primeira cabine do jurado, mas o que se viu foi a elegância do mestre-sala. Julinho apresenta um bailado dinâmico, suntuoso e de bastante sincronia, com um olhar direto para sua porta-bandeira. Rute parece que ganhou uma energia ainda maior. Ela lutou com bravura e ganhou do vento, a porta-bandeira mostrou um bailado de uma mulher guerreira, com rotações perfeitas e com uma bela apresentação de seu pavilhão. Ponto alto na parte do samba “das cinzas voltar, nas cinzas vencer”, quando os dois expressam em suas faces: determinação e confiança.

Harmonia e Samba

Zé Paulo e seu time do carro de som deram um espetáculo de canto. É impressionante ver como a escola abraçou o intérprete e vice-versa. O cantor vai para o meio das alas, o que deixa o componente mais animado. Ponto positivo para a virada do samba e o refrão principal, o canto do componente aumenta exponencialmente. O samba faz o seu papel. “E quem ousou desafiar a ira divina/ Vagou no mar/Cego pela sede da ambição/ Carregando a sina dessa maldição” é o único momento que o componente parece descansar um pouco e o rendimento cai.

Ponto positivo no canto da ala de abertura, Velha-Guarda, e a ala após, além da ala Zumbis. A ala atrás da bateria e a ala em frente à alegoria três destoaram das demais.

“Esse ensaio foi maravilhoso, se eu não me engano é nosso décimo ensaio. Sem dúvida, foi o que mais se aproximou do que a gente está pensando em fazer na Marquês. É claro que ainda tem chão pela frente, isso significa que podemos evoluir mais, com muita humildade e muito trabalho. Estamos ensaiando desde outubro incessantemente. Até o carnaval tem muita coisa ainda. O importante é que estamos felizes e confiantes e com muita vontade de fazer. Estou aqui desde 2013, vendo Amaral Peixoto lotada, o pessoal com essa energia toda”, disse o intérprete.

Evolução

O ensaio da Viradouro fluiu bem, a escola ensaiou seu recuo de bateria e não teve grandes problemas. Os componentes brincaram, principalmente, na parte “mas, a coragem que me faz lutar”, onde toda escola joga as mãos para frente e para trás. Outro ponto positivo foi a ala Zumbis, fãs de Paulo Barros podem aguardar muito dessa ala. Os componentes estavam maquiados lembrando um “Walking Dead”, além de dentro samba fazerem coreografias de lutas de Zumbis. A escola deve ter atenção para ala de passistas, que apesar de um samba no pé perfeito, comandados por Valci Pelé, foi possível identificar clarões, em alguns momentos, em que eles ficavam muito espaçados da bateria.

“O ensaio foi muito bom. Faltam mais de 30 dias para o carnaval. Não quero chegar no ápice muito antes. Quando chegamos em uma excelência, manter pode ser mais difícil. Na cabeça de todos nós, a gente não tem como achar que hoje foi o melhor de todos os ensaios, pois temos que acreditar que os próximos serão melhores. Temos que pedir o máximo da comunidade, o máximo de nossa comissão, o máximo de cada segmento. O treino tem que ser muito importante”, disse Dudu Falcão, um dos diretores da Viradouro.

Bateria

Mestre Ciça parece que nunca saiu da escola. Sentindo-se em casa e alegre, abusou das bosas, tudo numa cadência perfeita. Bem ativo em todos os momentos da condução da bateria, o mestre agraciou o público com paradinhas e coreografias. “O brilho no olhar voltou” é a parte do samba em que Ciça faz com que a bateria pare e ouça somente a voz da comunidade. Nesse momento, o contingente cante o refrão com grande empolgação.

“Meu balanço do ensaio é que foi bom. Minha maior satisfação é ver essa rapaziada da antiga tocando, isso não tem preço que se pague. Quer surpresa? Você viu aí hoje, não viu?”, terminou sua fala sorrindo.

A rainha da bateria, Raíssa Machado, deu um show de simpatia à frente da bateria da escola, ela evoluiu junto com os ritmistas, com o samba na ponta da língua, além de tocar chocalho, saudar e cumprimentar o público.

Outros Destaques

A vice-presidente Susie Bessil e o presidente de honra Marcelo Calil estavam de olho em todos os acontecimentos e o tempo todo dando toques à diretoria e harmonia, mas também aproveitaram o ensaio da Amaral Peixoto cantando muito o samba. Assim como eles, o presidente Marcelinho Calil estava observando os acontecimentos e analisou o ensaio para o site CARNAVALESCO.

“Sem dúvida foi um dos melhores ensaios que fizemos. A gente está conseguindo fazer algo que é muito importante, que é ir crescendo o nível dos ensaios conforme a chegada do desfile. Semana a semana estamos aprimorando cada quesito, cada segmento e o resultado é esse ensaio maravilhoso. Particularmente, eu fiquei muito feliz com o resultado do ensaio em todos os aspectos”, finalizou o presidente.

Com o enredo “Viraviradouro”, do carnavalesco Paulo Barros, a Unidos do Viradouro é a segunda a desfilar no domingo de carnaval.

- ads-

Confira a ordem dos desfiles do Acesso 1 de São Paulo para o Carnaval 2025

A Liga-SP definiu na noite deste sábado, em evento na Fábrica do Samba, a ordem dos desfiles do Acesso 1 de São Paulo. As...

Confira a ordem dos desfiles do Acesso 2 de São Paulo para o Carnaval 2025

A Liga-SP definiu na noite deste sábado, em evento na Fábrica do Samba, a ordem dos desfiles do Acesso 2 de São Paulo. As...

Leandro Vieira sobre temática afro nos enredos de 2025: ‘condição raríssima de cidadania e educação pro povo brasileiro’

Tricampeão do Grupo Especial do Rio de Janeiro, o carnavalesco Leandro Vieira publicou nas redes sociais sua opinião sobre a temática afro nos enredos...