InícioGrupo EspecialGrande RioBora e Haddad avaliam carnaval da Grande Rio e comentam enredo sobre...

Bora e Haddad avaliam carnaval da Grande Rio e comentam enredo sobre Pará: ‘Não será algo usual, mas sim diferenciado’

Sem um fio condutor definido, Bora revelou que a diretoria deu liberdade artística para a elaboração do enredo

Nomes que marcam o ciclo vitorioso da Grande Rio que teve início em 2020 os carnavalescos Gabriel Haddad e Leonardo Bora seguirão no comando do carnaval da Grande Rio. A agremiação de Duque de Caxias definiu o Pará como o tema que será levado para a Passarela do Samba em 2025. Sem um fio condutor definido, Bora revelou que a diretoria deu liberdade artística para a elaboração do enredo.

Foto: Dhavid Normando/Divulgação Rio Carnaval

“A escola assegurou a liberdade artística e criativa para que a gente possa desenvolver um enredo autoral e com caminhos próprios. Com certeza não será algo usual, mas sim diferenciado. Antes, precisamos dormir um pouco, porque foi uma maratona muito longa”, contou o carnavalesco.

A dupla já assinou quatro carnavais pela Grande Rio e contribuiu na conquista da tão sonhada primeira estrela. Em todos, a escola retornou para a Passarela do Samba entre as campeãs. Apesar dos boatos de que deixariam a tricolor caxiense, Haddad reafirmou seu compromisso com a equipe e ressaltou a liberdade artística dada a eles.

“A Grande Rio é uma escola incrível. Nos apaixonamos pelos componentes e pela diretoria. É uma escola que abraça as nossas ideias – temos algumas ideias um pouco loucas (risos) e quem acompanha o nosso barracão sabe que quando temos alguma ideia, a presidência e a diretoria compram. Não há motivos para sair da Grande Rio, uma escola querida. Em algum momento – quem sabe – tomaremos caminhos diferentes, mas neste momento somos Grande Rio e seguiremos firmes neste propósito”, afirmou Haddad.

O desfile foi marcado pela originalidade e inovação na parte plástica. Para Haddad, o balanço do carnaval é positivo. Ele conta que a ideia de unir a iluminação – que já estava na justificativa do enredo – para a defesa da plástica surgiu há na reta final.

“Foi um carnaval incrível, porque conseguimos colocar na avenida tudo aquilo que experimentamos antes – em termos de materiais e em tentativas de criar novos adereços. Outra situação foi a iluminação da Sapucaí – a gente tinha feito testes, mas pensava nela desde abril. Conseguimos implementar novos materiais e a luz da avenida, que conseguiram caminhar com o enredo”, explicou.

Já para Leonardo Bora, levar para a avenida “O nosso destino é ser onça” representou o retorno de narrativas míticas para a Grande Rio e foi uma apresentação que ficou marcada no olhar do público.

“Foi um carnaval de muita força para a escola, em que ela voltou a contar essas narrativas míticas e de um tempo imemorial – que é diferente do teor cronístico, como foi o do Zeca. Foi um desfile muito marcante na avenida, com muita força e uma entrada bastante impactante. É uma apresentação que ficou marcada no olhar e na memória das pessoas – e para nós, artistas, é o que mais importa. O que fica são os sentimentos de muita força”, contou Bora.

- ads-

Hugo Júnior deixa presidência da Acadêmicos de Niterói

Hugo Júnior publicou uma carta de desligamento na segunda-feira informando sua decisão de deixar a presidência da Acadêmicos de Niterói. Veja abaixo o texto. "Eu...

Maiores Ganhos com Apostas — Ranking Pin Up

Maiores Ganhos já Obtidos com Apostas A maioria dos apostadores que trabalham com estratégia e fazem palpites com base em estudos já experienciaram bons resultados. Provavelmente...

Conheça o enredo da União da Ilha para o Carnaval 2025

A União da Ilha anunciou o enredo para o Carnaval 2025. O carnavalesco Marcus Ferreira será o responsável pelo desfile. Veja abaixo a publicação...