Não há como duvidar da força de uma escola com a envergadura do pavilhão da Estácio de Sá. A mais antiga agremiação do país mostrou pujança em seu ensaio de rua realizado na noite desta segunda-feira nas ruas do Berço do Samba. Tudo impulsionado por uma competente condução do samba por Serginho do Porto e uma atuação de gala da bateria Medalha de Ouro. O treino atraiu a atenção de varias pessoas e durou cerca de 80 minutos. Antes do início da execução da obra de 2019 Serginho relembrou vários sambas clássicos da Estácio de Sá em um longo esquenta.

“O ensaio foi bastante satisfatório. Acredito que estejamos a 70, 80% do nosso ponto ideal. A Estácio não pode apenas participar do desfile, precisa estar sempre de olho no título. É uma escola de comunidade forte e quem acompanha o nosso pré-carnaval sabe que estamos nessa briga”, explicou Nelsinho, da direção de carnaval.

Bateria

Uma das históricas baterias do carnaval carioca a Medalha de Ouro voltou para o comando de mestre Chuvisco após a sua passagem pela Unidos de Vila Isabel em 2018. Os ritmistas deram um show no treino desta noite com bossas bem executadas e impulsionaram o canto da comunidade em perfeita harmonia com o carro de som.

Samba-Enredo

A obra estaciana demonstra sua qualidade não apenas na competente gravação no CD da Série A. Sua execução ao vivo se mostrou firme e muito bem conduzida pelo experiente e consagrado Serginho do Porto. O intérprete permanece o tempo todo dentro da métrica com as divisões corretas. Os refrões do samba tiveram excelente rendimento e o tempo todo o samba funcionou de maneira perfeita.

Harmonia

A comunidade da Estácio demonstra estar pronta para o desfile. Alas cantaram a plenos pulmões o samba-enredo todo o ensaio. A rua usada para o treinamento tem a extensão semelhante à da Sapucaí e as alas mais afastadas do carro de som não tiveram qualquer dificuldade em cantar o samba com firmeza. Uma apresentação digna da nota 10.

Evolução

Quesito onde a Estácio precisa melhorar para o seu desfile oficial. Tanto no que se refere à técnica de desfile, com um excesso de lentidão no meio do treino, o que certamente acarretaria em perda de pontos no julgamento da Lierj, quanto na espontaneidade das alas. Embora o canto tenha estado perfeito, faltou mais movimentação e as alas passaram andando pela pista.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

Zé Roberto e Alcione aproveitaram de fato o ensaio técnico de rua. Utilizaram a pista para fazer coreografia de jurado, toda trabalhada claramente em cima da letra do samba. Além disso exibiram o pavilhão ao público e demonstraram grande entrosamento e cumplicidade.

A Estácio de Sá será a terceira escola a desfilar no sábado de carnaval pela Série A. O carnavalesco Tarcísio Zanon desenvolve o enredo ‘A fé que emerge das águas’.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui