Da Zona Oeste do Rio de Janeiro para a Zona Leste de São Paulo, a Vila Vintém estará presente no Anhembi para o carnaval de 2024. A Uirapuru da Mooca vai homenagear a Mocidade carioca com o enredo: “Da Estrela Guia que Brilha no Céu, Vem Aí, A Mocidade Independente de Padre Miguel”. No desfile estarão presentes enredos sejam eles positivos ou negativos na história da verde e branco. A agremiação da Mooca prepara uma grande homenagem através de alegorias e fantasias, nomes marcantes da Mocidade também aparecerão durante desfiles como Castor de Andrade, Mestre André e Fernando Pinto.

Fotos: Fábio Martins/CARNAVALESCO

De Padre Miguel para a Mooca

Por um lado, Padre Miguel é uma das regiões mais povoadas do Rio de Janeiro, a Mooca é um bairro com origem operária e com grande ligação italiana, um bairro extremamente bairrista na Zona Leste de São Paulo. O carnavalesco da Uirapuru da Mooca, Toninho Tatuapé, contou sobre a ideia do enredo em homenagem à agremiação carioca vir em papo com o presidente Sidnei Aguilera.

“Quando eu sentei lá, eu vi os pilotos, ele já tinha um outro enredo e aí eu comecei a olhar para o que ele tinha de material. Eu falei, pelo que você tem aqui tem um jeito, vamos homenagear uma escola do Rio de Janeiro e ele falou ‘qual que você acha?’. Eu olhando o que ele tinha de material. Eu falei por que não a Padre Miguel. Como a Padre Miguel. Falei ‘ó, Padre Miguel é uma escola gigantesca do carnaval do Rio’. É um marco a Padre Miguel, uma escola que ela conseguiu imortalizar três sambas consecutivos ‘Chué. Chuá’, ‘Vira Virou’ e o ‘Sonhar não custa nada’. Isso não é para qualquer um não, uma escola que teve Castor de Andrade, né? Como não falar do Rio de Janeiro e não falar de Padre Miguel, Bangu e não falar de Castor de Andrade, é humanamente impossível, pelo que ele investiu no carnaval, a vida dele que foi no carnaval é como não falar de Ney Vianna, Renato Lage, profissionais maravilhosas, acima da sua época, todos né? Então uma escola rica e quando nasceu a ideia deste enredo, a gente tem que ir lá no Rio, né? Eles têm que dar o consentimento nisso. Fomos lá, e fomos muito bem recebidos pela diretoria da Padre Miguel. Eles aceitaram a ideia de primeira e apresentamos o Uirapuru para eles e tal. Foi emocionante. Então a ideia do enredo de fato acabou sendo minha”.

Em relação às pesquisas realizadas sobre a história da Mocidade Independente de Padre Miguel, Toninho contou para o site CARNAVALESCO: “É uma história muito rica, né? Então quando a gente começa a falar de pessoas ou de desfiles da Padre Miguel, você começa vai ficando cada vez mais encantado. Quando eu cheguei no Rio para conversar com o pessoal, nem eu tinha esse conhecimento. Eles falaram, olha vocês vão ficar doidos, porque a zona oeste é maior região do Rio de Janeiro. Eu nunca tinha nem pesquisado isso e então vocês vão ter um baita público para vocês e é verdade. Desde a Padre Miguel anunciou no site deles lá e as pessoas que gostam da Padre Miguel do Rio de Janeiro, estão perguntando como fazem para desfilar no Uirapuru. E eles estão agradecendo muito por nós contarmos a história deles. Então quer dizer uma história rica tanto de desfile, cada coisa que a gente pega, partes enredos do passado que a gente vai indo mais a fundo. Então vai descobrindo mais coisas é maravilhoso. É uma história muito rica” .

“Reluz a estrela guia no meu Carnaval”…

Como diz o samba-enredo da Uirapuru da Mooca em 2024, a estrela guia vai reluzir mesmo no Sambódromo do Anhembi, e o carnavalesco Toninho aposta na cara da Mocidade Independente como o grande trunfo do desfile que tem sido desenvolvido por ele.

“Tem momentos bacanas, o próprio samba ficou muito bacana, né? Porque eu sempre falei para os compositores que se inspirassem em 1990, que contavam a parte da história pro samba, né? O samba-enredo ficou muito bacana. Autoria do Tchello, André Ricardo, pessoal mais lá do Rio também que deu uma força no samba enredo. Ficou muito bacana, ficou muito a cara, eles mesmo aprovaram o samba. E o próprio abre-alas que tá muito a cara da Padre Miguel. Então quando algumas matérias falaram que ia ter a Padre Miguel em São Paulo, é verdade. Vamos ver a Padre Miguel de fato, a gente tá respeitando muita história, estamos preparando uma maravilhosa homenagem pra eles”.

Para isso, Toninho ressaltou a importância de ter as cores e estilos olhando para a agremiação homenageada, mas respeitando a Uirapuru: “Estamos misturando tudo e estamos sendo muito fiel ao que é a Padre Miguel. Vamos vir com um abre-alas, todo verde, branco e prata. Quem ver vai se surpreender, porque vai ver ali a história da Padre Miguel, todas as fantasias, cada uma conta um enredo deles, a comissão de frente vai ser nostálgica, vai ser muito bacana. Quem ver vai se encantar, eu tenho certeza disso e principalmente a eles vão ficar muito feliz”.

Parceria entre as escolas e prazer em desenvolver enredo

“Olha eu vou falar, dos seis carnavais que eu já desenvolvi na minha vida está sendo o mais satisfatório para mim. Porque desde que a gente começou a desenvolver os pilotos, então ele ia desenvolver o piloto o ‘Chué. Chuá’, Colocava o samba-enredo para ouvir e ia desenvolvendo o piloto. Quando a gente entrou em contato com o pessoal da Padre Miguel, eles deram maior atenção pra gente e conversamos até hoje, com o Wilker, tudo o que vai acontecendo aqui, eu mando foto para eles. Eles já vieram na quadra no lançamento do samba enredo, vieram pesado mesmo, honraram muito o compromisso que eles tinham com a gente. Aceitaram e não negaram nada pra gente, tudo que precisamos de pesquisa, de fotos do passado, tudo eles encaminharam. Tem o Wilker lá que é um cara sensacional, que é o historiador da Padre Miguel, cuida da das Fantasias lá e tudo que eu preciso ele de bate pronto auxilia ajuda e está com a gente. Tivemos momentos já vitoriosos assim no dia da apresentação do samba-enredo. Levei o Wilker para ver que é o historiador e mais um diretor de Harmonia da Padre Miguel. Aí ele falou, olha eu vou falar uma coisa: ‘tenho 20 anos de Padre Miguel. Eu tô vendo a minha escola, eu tô vendo a minha história’.

Setor a setor

Contando um pouco sobre o enredo que estará na pista do Anhembi, o carnavalesco responsável pela Uirapuru ressaltou uma parte dos enredos da Mocidade que serão homenageados através de alas. Também citou personagens importantes da escola que estarão presentes de alguma forma.

“A gente vem resgatando o abre-alas, partes de carros deles mesmo respeitando o verde e branco deles, não vai ter uma cor além do verde e branco, tanto que você vê algumas imagens de personalidades. Eu pedi para rodar tudo em verde branco para respeitar a tonalidade de cor da Padre Miguel. As alas vem falando de desfiles marcantes deles como ‘O Grande Circo Místico’, ‘Bye Bye Brasil’, ‘Tupinicópolis’ aqueles desfiles marcantes, vamos ter uma área indígena na escola, coreografada. O ‘Sonhar não custa nada’ que a fantasia tá muito bacana que foi a grande aposta do Castor de Andrade, onde ele prometeu o prêmio para a bateria se viesse aquele carnaval, não veio, mas marcou muito né? Como eu disse com um baita samba. A história do arco da velha, ala de bruxarias, então estamos com um desfile marcante, nós temos um grande misto no segundo carro que a gente vem contando a primeira parte indígena, como era ‘Verde meu Xingu e a segunda parte com o carro indiano, que o desfile da Índia deles também é um desfile que é uma é uma sacanagem, é maravilhoso. Então é aquilo que eu falei todo mundo vai ver a Padre Miguel ali e a bateria refrão do meio que foca no Mestre André, né? Não tem como não falar da paradinha, isso ficou um legado para o carnaval e a nossa bateria vem toda focada homenageando o mestre André, mestre Jorjão, o Mestre Coé e agora o filho dele é o herdeiro dele lá, então a gente vê vem falando dos grandes Mestres”.

Castor de Andrade e Fernando Pinto são lembrados

Entre os homenageados, claro, o eterno patrono da escola, Doutor Castor de Andrade estará presente: “Não tem como não ter Doutor Castor no desfile, né? Ele era um um espetáculo nos desfiles da Padre Miguel na história do carnaval, injetou muita grana lá e para fazer a Padre Miguel como ela é hoje, uma escola maravilhosa. Muito obrigado, viu?”

E outro nome marcante é o de um grande artista inovador: “E como não falar de Fernando Pinto, né? Que foi um cara acima da sua época com enredos maravilhosos como o ‘Tupinicópolis’, ‘Ziriguidum 2001’ e ‘Histórias do arco da velha’. Que esses movimentos, gente em carro alegórico, mestre-sala em cima de carro alegórico na década de 80, ele já fazia isso, né? Pena que em desastre besta, indo para um ensaio da Padre Miguel que ele perdeu a vida, mas é um cara que deixou um legado monstruoso no carnaval”.

Outro relato do carnavalesco foi sobre a representatividade que os casais da Uirapuru costumam ter: “Os casais tem que fazer representações, os casais do uirapuru não saem neutros no carnaval todos estão linkados ao enredo, são cuidados que eu gosto de ter, já que tem que fazer vamos fazer de acordo”.

Não serão somente enredos consagrados…

“Tem o desfile do Rock in Rio, eles falam ‘poxa esse desfile’, mas é o desfile, tem que respeitar porque é uma escola que tem força, nem sempre ela acerta ou erra, mas são coisas que é legal, mas já existe uma ousadia uma escola de samba homenagem de falar do rock, né? Tem vários momentos, o próprio Bye Bye Brasil, então é um samba muito bacana. Não terão somente desfiles consagrados, mas sim desfiles que marcaram e que tiveram seu momento no carnaval do Rio.”

Enredo: “Da Estrela Guia que Brilha no Céu, Vem Aí, A Mocidade Independente de Padre Miguel”.
Alegorias: 2
Alas: 13
Ordem de desfile: Quinta escola a desfilar no dia 3 de fevereiro de 2024 pelo Grupo de Acesso 2