Os artistas que vão trabalhar presencialmente nos barracões das escolas de samba foram testados na quinta-feira para Covid-19. A ação foi uma iniciativa da Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo e aconteceu na Fábrica do Samba, com profissionais recém-chegados de Parintins (AM) e outros que já estavam em São Paulo.

Os envolvidos na construção das alegorias para o próximo Carnaval fizeram o teste de antígeno para covid-19. A pesquisa de antígeno aponta a presença ativa do vírus no corpo, com resultados disponíveis a partir de 15 minutos.

“Todos os presidentes aderiram e todos os profissionais compreenderam a necessidade [de fazer os testes]”, conta Luciana Silva, vice-presidente da Liga-SP.

Com os testes, os artistas que não apresentaram indícios de contaminação por Coronavírus foram liberados para o trabalho.

“É o nosso compromisso, com as pessoas, com o nosso Carnaval”, explica Sidnei Carriuolo, presidente da Liga-SP.

O desfile das escolas de samba está previsto para acontecer em julho de 2021, havendo vacinação para a população e de acordo com a posição da capital no Plano São Paulo, que determina a reabertura econômica de todos os setores, considerando a disponibilidade de leitos de UTI e o ritmo de contágio da covid-19, bem como as diretrizes que devem ser seguidas para que aglomerações sejam evitadas. A transferência de data foi uma decisão pensada junto com a Prefeitura de São Paulo e o Governo do Estado, diante do cenário pandêmico em 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui