Com um longo histórico de sucessos, os coreógrafos Priscilla Mota e Rodrigo Negri atingiram um novo nível de aclamação, de forma crítica e também pública. O casal, que fez sua estreia na Viradouro em 2023, conquistou a nota máxima no quesito Comissão de Frente.

Foto: Luisa Alves/Site CARNAVALESCO

“A estreia foi a melhor possível. O nosso saldo é muito positivo, conseguimos um vice-campeonato. Perdemos por um décimo. Acho que é um combustível para trabalharmos e voltarmos com mais gás no próximo ano”, comentou Rodrigo. “Fomos muito bem recebidos, não só pela diretoria, como também pela comunidade. Parece que estamos lá há anos”, complementou Priscilla, em entrevista no sábado das campeãs.

Ainda assim, os dois se apressaram para frisar que a principal motivação de seu trabalho não é uma nota. “As que recebemos foram resultados do nosso comprometimento. Muitas vezes a nota não significa que o trabalho foi bom ou ruim. Hoje, depois de 15 anos de carreira, a gente entende que um projeto é vitorioso se o processo é feliz. O nosso processo foi muito feliz. A nota foi só a cereja do bolo”, afirmou Priscilla.

Ao elogiar a escola de samba, o casal nos conta que a melhor estrutura dada foi a de profissionais, e que isso os permitiu dificultar a coreografia. “Foi um dos projetos mais difíceis que já fizemos”, citou Rodrigo.

Eles também revelaram que o tripé utilizado na comissão de frente não era hidráulico. “Tudo que sobe, gira ou abre é operado pelos bailarinos. Não tem ninguém além deles”, disse Priscilla.