Nascida e criada em Nilópolis, Aieny Mendes, de 20 anos, professora, filha de Mônica Mendes e Cláudio de Araújo é mais uma candidata ao título de rainha da Beija-flor. A jovem passista conversou coma reportagem do site CARNAVALESCO para contar um pouco mais sobre a sua vida e principalmente como chegou ao mundo do samba. A final é nesta quinta-feira.

“Minha mãe um belo dia resolveu ir no projeto da Selminha. E perguntou ‘quem vai comigo’ lá em casa. Eu resolvi ir com ela. A gente foi para um projeto de percussão. Chegando lá nós começamos a bater na mesa, essas coisas todas, mas aí eu me interessei pelo chocalho. E no chocalho da Beija-Flor, vi os meninos sambando. Aí eu gostei. Aí eu fazia o chocalho e a ala de passistas. Só que não estava batendo o tempo. Tive que escolher um dos dois. Escolhi então o ensaio de passista, o projeto. E assim continuei. Em 2015, eu tentei uma vaga na ala de passistas, e já estavam todas preenchidas. Então fui para a ala da ‘baianinhas’. Vim, desfilei de ‘ baianinha’. Em 2016, num corte de samba, eu sambando na lateral, e passou sete diretores de harmonia. Os sete diretores de harmonia me olharam e me colocaram para fazer teste na ala de passistas, onde estou até hoje”, conta a candidata.

Aieny leva em seu coração o desfile de 2018 da Beija- Flor de Nilópolis em que veio já na ala de passistas fantasiada de “Pomba Gira”, representando o povo das ruas.

“Meu desfile preferido é 2018. Foi um desfile que as pessoas estavam precisando colocar para fora o que sentiam. Tudo aquilo que acontece com a gente, no nosso dia a dia. A voz do negro ser exaltada, o negro ser exaltado ali, aquele ano a gente colocou para fora todas as dificuldades que a gente passa no nosso dia a dia, então acho que aquele desfile foi uma libertação”.

Para a candidata ao posto de rainha, ser passistas é uma relação de amor com a escola que defende. “Ser passista é ter amor ao pavilhão, é você chegar na sua comunidade, sambar, estar ali presente por gostar, por amor aquilo que faz, por amor a arte, que precisa muito ser valorizada”, entende Aieny.

E para a jovem passista, a comunidade da Beija-Flor lhe enche de orgulho e lhe traz muita emoção. “É gratificante demais, você chegar no desfile, com a sua escola de coração, nascida e criada naquela escola , você chegar no mesmo setor, ver todo mundo cantando o samba da sua escola, o samba do ano, é emocionante demais”.

A vida de Aieny deve ter mudanças obviamente caso vença o concurso e substitua um grande ícone como é Raíssa Oliveira. Mas a jovem passista acredita que o posto de rainha não vai tirar a essência do segmento que ela sempre vai continuar se sentindo pertencente.

“Uma coisa que eu sempre falo é que se eu virar rainha, eu vou ser uma eterna passista, porque a minha origem é ser passista, é passista. A única coisa que vai mudar é que eu não vou ter mais as pessoas ali do meu lado, vou estar sozinha, sendo a atenção do povo e sambando para o povo. Eu não vou estar na ala das passistas, mas vou ser uma eterna passistas”, completou a candidata.

A musa também revelou que ela tem como referência de samba no pé. “Eu tenho três pessoas que são as minhas referências, a Raíssa (Oliveira), a Evelyn Bastos e a Luciene Soares, rainha do Leão de Nova Iguaçu. Essas três mulheres são minha referência. Claro, a Sônia Capeta, mas esta em um patamar altíssimo, eu sou encantada por ela”.

Quando o assunto é referência de vida no carnaval, Aieny responde sem nem pestanejar. “Selminha Sorriso. Eu gosto muito do que ela faz, do trabalho que ela faz com as crianças no Instituto. Uma coisa que eu sempre falo, ela é mãe de todos ali. Então, o trabalho social que ela faz é muito importante hoje. Tenho ela como referência”.

Aieny sente também que as coisas estão melhorando para o mundo do samba, para o carnaval como um todo. “Eu acho que o carnaval já está sendo visto de uma forma que tem que ser, o carnaval já hoje tem uma propulsão importante, a gente está sendo visto, as passistas estão sendo vistas. Todos nós figuras artistas estamos sendo vistas. Isso é importante demais”.

Jogo rápido com Aieny Mendes

Time do coração: Vasco da Gama
Samba-enredo predileto: O chuveiro da Alegria ( Beija-Flor 2009)
Filme predileto: Minha mãe é uma peça
Comida favorita: Estrogonofe
Lugar inesquecível que visitou: Sapucaí
Lugar que sonha conhecer no mundo: Ilhas Maldivas
Carnaval é espaço para política?: Sim

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui