InícioGrupo EspecialTestamento de cigana escrito há mais de 100 anos é o enredo...

Testamento de cigana escrito há mais de 100 anos é o enredo de Leandro Vieira para a Imperatriz Leopoldinense

Folheto "O testamento da cigana Esmeralda", escrito pelo poeta paraibano Leandro Gomes de Barros, inspira a nova empreitada artística do carnavalesco

“Com a sorte virada pra lua segundo o testamento da cigana Esmeralda” é o título do enredo que a Imperatriz Leopoldinense apresentará no carnaval de 2024. A ideia é mais um enredo pesquisado, desenvolvido, transformado em narrativa e visualidade com a marca autoral do carnavalesco Leandro Vieira. Segundo o artista, a proposta para o carnaval 2024 dá continuidade ao seu interesse em se debruçar sobre o Brasil e a obra de escritores populares que souberam dar contorno à imaginação de caráter fantástico como uma extraordinária vocação do povo brasileiro.

Logomarca: Thiago Santos/Divulgação

“É mais um enredo que olha para aquilo que há de mais simples, no sentido popular das coisas que estão na cabeça do povo. Livre do academicismo e próximo à cultura que emerge das vocações populares brasileiras, mergulho nesses anseios populares tão presentes no imaginário coletivo do Brasil das pessoas reais, ou seja, o Brasil que me desperta interesse e encantamento. Com o enredo que proponho agora, sigo mergulhado nos saberes populares que se utilizam da interpretação dos sonhos cotidianos para tomar decisões ou fazer apostas e também sobre a intenção de prever a sorte através da antecipação do futuro com o uso de meios fantásticos”, avalia o artista.

De acordo com o carnavalesco, o desenvolvimento do enredo é debruçado de forma livre sobre um pequeno folheto que fala sobre o encontro do testamento da cigana Bruges de Esmeralda e o descortinar do conteúdo de seus ensinamentos místicos. O folheto, escrito há mais de cem anos, é assinado por Leandro Gomes de Barros – escritor paraibano reverenciado por Carlos Drummond de Andrade como o “o rei da poesia do sertão”- com o nome de “O testamento da cigana Esmeralda”.

Na narrativa fictícia do folheto, este testamento foi trazido para o Brasil no interior de um barril por um grupo de ciganos. Ao falar com entusiasmo sobre o material literário de base popular que lhe serve de inspiração para o trabalho que virá, o artista dá dicas sobre aquilo que lhe desperta interesses artísticos na nova empreitada.

“No descortinar da leitura do folheto, a gente se depara com uma série de ensinamentos de caráter popular sobre a interpretação de sonhos, com uma tabela que predetermina dias felizes e dias de má sorte, com caminhos para a leitura da sorte na palma da mão e a influência dos astros nos caminhos humanos com direito, inclusive, a uma semana astrológica. É material para delírio carnavalesco pra tudo que é lado. E o melhor de tudo é que não precisa de longas teses ou muita explicação para ser compreendido. É cultura popular feita pelo povo e para o povo”, conclui.

- ads-

Após sexto lugar, componentes da Vila Isabel estão de cabeça erguida, cientes dos décimos perdidos no casal e prometendo disputar o título em 2025

A Vila Isabel terminou o Carnaval de 2024 em sexto lugar. A escola apostou na rredição de "Gbalá - Viagem ao templo da criação"....

Casinolobster: Os melhores casinos do Brasil

Os jogos de cassino têm se tornado cada vez mais populares no Brasil, e com isso, surgem diversas opções de cassinos online para os...

União da Ilha anuncia saída do intérprete Nêgo

A União da Ilha anunciou nesta segunda-feira a saída do intérprete Nêgo. O cantor chegou na escola para o Carnaval 2024. Ele vinha de...