InícioGrupo EspecialProtegidos por Xangô, salgueirenses cantam o tempo inteiro e fazem ensaio técnico...

Protegidos por Xangô, salgueirenses cantam o tempo inteiro e fazem ensaio técnico recheado de emoções

O Salgueiro abriu o segundo dia de ensaios técnicos para o Carnaval 2019, na noite deste sábado, na Marquês de Sapucaí, e contou com a participou forte do público desde o início cantando o famoso Explode Coração (1993) e o Malandro Batuqueiro (2016). Com o enredo em homenagem ao padroeiro Xangô o Salgueiro realizou um dos seus melhores treinos no
Sambódromo impulsionado pelo canto explosivo de sua comunidade e torcida.

Com toda a expectativa gerada em torno do carnaval da escola, que durante o período pré-carnavalesco sofreu com brigas judiciais para comando da presidência da agremiação, a vermelho e branco do Andaraí mostrou que os embates em nada atingiram a sua comunidade que treinou com garra e cantou como nunca. De acordo com equipe da direção de carnaval, 3.535 componentes ensaiaram na escola. O treino teve duração de 1h21 minutos.

“Com o recomeço após o trabalho ter sido interrompido a gente trabalha com mais vontade. Sou salgueirense e construí uma história aqui na escola, tenho um orgulho imenso de ter uma comunidade como essa. O ensaio foi ótimo e a nossa motivação era fazer o componente cantar assim como nossos ensaios técnicos na rua. A
diferença é que aqui a gente a gente colocou o samba para funcionar para o público. Sabemos que treino é treino e jogo é jogo. A comunidade está de parabéns e só temos que melhorar agora a parte técnica”, afirmou Alexandre Couto, diretor de carnaval.

Harmonia

O Salgueiro mostrou que no quesito harmonia vai muito bem. A obra, de excelente qualidade, fez com que o salgueirense cantasse muito o samba-enredo de 2019. Mesmo sem as caixas de som do Sambódromo instaladas, o canto foi forte do início ao fim da pista da Sapucaí, explodindo no refrão principal. Não foi percebida nenhuma ala sequer que não cantasse com força e vontade a obra salgueirense. Aliás, o samba também está na ponta da língua do público que correspondeu muito bem o canto da escola. O bom trabalho dos diretores de harmonia também merece ser citado, visto que impulsionaram o canto da comunidade à todo momento e com alegria. Quinho e Emerson Dias tiveram boa sintonia e conduziram muito bem o carro de som.

Samba-Enredo

Funcionou muito bem a obra salgueirense no ensaio técnico. “Xangô” está completamente na boca do componente salgueirense e também do público. Se a agremiação desfilasse hoje, estaria completamente pronta para entrar na Avenida e arrancar a nota máxima dos jurados em samba e harmonia. Bom rendimento do carro de som, mesmo com a dificuldade da chegada do áudio para toda a Avenida.

“O Salgueiro explodiu, veio uma escola vibrante e era isso que esperávamos. O povo comprou o barulho e cantou para caramba. Hoje foi só um tira gosto, no dia do desfile vamos trazer o prato principal”, disse Emerson Dias.

“O samba é de fácil assimilação. Ao longo dos ensaios nós dois estamos ficando mais entrosados e a tendência é chegar no ápice que é o desfile oficial para que possamos brindar esse povo maravilhoso, não só no canto e sim, também, na dança e ritmo”, completou Quinho.

Comissão de Frente

Também estreando na vermelho e branco do Andaraí, Sérgio Lobato deixou o segredo para o dia do desfile oficial, assim como a maioria dos coreógrafos. Porém, ele brindou o público com uma apresentação especial da abertura do desfile. Apenas bailarinos homens compõe a comissão de frente e Xangô foi representado em momentos diferentes por dois pivôs. Em determinado momento no final da apresentação, os bailarinos erguiam Xangô ao alto, que fazia movimentos de queda para esquerda e direita levantando e arrancando aplausos do público tornando-se no auge da apresentação.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

Que Sidclei e Marcella Alves dispensam apresentações, ninguém tem dúvida. O casal que teve seu período pré-carnavalesco interrompido devido aos problemas judiciais da escola, mostrou que está em sintonia como sempre. Marcella, que foi mãe recentemente, já exibiu completa forma física e ostentou um figurino elegante com saia longa, a qual segurou a sua ponta durante toda a apresentação, dando um efeito ainda mais especial e graça ao bailado bem tradicional da dupla.

O ponto alto da apresentação aconteceu em frente ao primeiro módulo de julgadores. No final da apresentação. A dupla conduziu o pavilhão para Regina Celi, ex-presidente da escola que acompanhava, até então, o ensaio da lateral da pista de desfiles, reverenciar a bandeira e a dupla. Importante destacar que Sidclei e Marcella foram desligados da escola no ano passado, na gestão de Regina, e retornaram após Andre Vaz adquirir o direito de assumir a presidência.

“Entendi que era a hora de falar para ela que não ficou mágoa. A gente é Salgueiro igual a ela. A Regina tem todo direito de beijar a bandeira da escola. Não esperava vê-la ali. Foi uma surpresa”, disse Marcella Alves.

“Fiquei oito anos dançando na gestão dela. Foi uma prova que zeramos isso. O que passou passou e nós queremos ser felizes dançando”, complementou Sidclei.

Marcella Alves explicou o que o casal salgueirense fez no ensaio técnico.

“Fizemos quase toda a marcação coreográfica. É logico que tem alguns elementos surpresas. O boom da nossa apresentação vai ser a fantasia que é uma história, muito bonita e super tradicional. Tem um link do enredo sensacional que tem relação com a dança do mestre-sala e da porta-bandeira. Não direi direto qual é a fantasia, mas vou dar uma dica. Xangô quando o criou o mundo na versão Yorubá, mandou quatro animais para terra. Eles se transformaram em elementos e nós seres um desses animais”, revelou Marcella.

Mamãe faz menos de um mês, a porta-bandeira salgueirense brincou dizendo que o bebê já nasceu torcedor do Salgueiro.

“É uma criança abençoada. Salgueirense, porque está ajudando a mãe. Às vezes, espera um pouquinho para dar a mamada. Tenho assistência da minha mãe e quando preciso sair para o ensaio e não tem como ser na minha casa, contrato uma enfermeira que participou do junto e ela fica junto com a minha mãe. Tiro o leite e ela amamenta com meu leite materno. Para não ficar muito tempo longe da Maria Rita, o Sidclei praticamente está morando lá em casa. Fazemos nossos ensaios nos intervalos da mamada, que acontecem de três em três horas”.

Evolução

O Salgueiro teve uma evolução correta ao longo de seu ensaio técnico, no entanto, um antigo problema voltou a atingir a agremiação. Houve um buraco na extensão de três caixas de som em frente ao primeiro módulo de julgadores na passagem do segundo casal de mestre-sala e porta-bandeira.

Problema esse que se ocorresse no dia do desfile oficial poderia custar décimos importantes à agremiação. A ala “Maculelê” passou pelo mesmo problema frente ao quarto e último módulo de julgadores. Houve espaçamento grande a sua frente e também dentro da própria ala. Os componentes do final da ala, que evoluíam junto com Carlinhos Salgueiro, se distanciaram consideravelmente do restante, que ficou mais a frente.

Em nenhum momento a escola acelerou seu passo ou se apresentou de maneira lenta. Destaque para as alas que não estavam enfileiradas deixando os componentes soltos e livres para se divertirem e evoluírem, sem embolar. Não houve, no entanto, nenhuma demarcação dos lugares que no dia oficial serão as alegorias, como a escola costumava fazer nos ensaios passados.

“Eu não sei explicar o que senti. Passou um filme rápido me lembrando quando entrei pela primeira vez aqui como mestre da Aprendizes do Salgueiro. Em geral eu achei quase perfeita. Mas temos detalhes para acertar nos últimos ensaios. Mas para mim o carnaval já pode ser amanhã”, explicou mestre Gustavo, que dirige a bateria Furiosa com o irmão Guilherme.

Outros destaques

As baianas comandadas por tia Glorinha estavam impecáveis. No figurino que poderia ser uma fantasia de desfile oficial no Grupo de Acesso de tão bonita, a roupa trazia as cores da escola e detalhes em dourado que davam um efeito mais que especial quando giravam. A ala de passistas também foi um espetáculo.

As passistas femininas foram vestidas de fantasias de show e todas estavam com o corpo completamente coberto por purpurina dourada. Para um efeito especial, em alguns momentos do ensaio acendiam fumaças na cor vermelha, o único, porém foi uma passista que estava descalçada. Os passistas masculinos não deixaram por menos e ostentaram luxo num figurino vermelho.

Sempre destaque principal no Salgueiro, Viviane Araújo, vestida de Oxum arrebatou gritos e muitos aplausos do público. Por onde Viviane passava, a arquibancada ia levantando para admirar a sua passagem.

Vestida de vermelho, sambando e cantando toda a letra do samba-enredo completamente emocionada, a ex- presidente Regina Celi também foi ovacionada pela Sapucaí que gritou o seu nome diversas vezes. Reverenciando a bandeira, entrando em alas e abraçando os componentes, a ex dirigente foi muito aplaudida e assediada durante o ensaio técnico da agremiação.

O Acadêmicos do Salgueiro será a quarta escola a desfilar no dia 3 de março na Marquês de Sapucaí, pelo Grupo Especial, com o enredo “Xangô” desenvolvido por Alex de Souza.

Por Geissa Evaristo, Guilherme Ayupp, Eduardo Fonseca, Winnie Delmar e Danilo Freitas. Fotos: Allan Duffes

- ads-

Salgueiro oferece curso gratuito sobre Imposto de Renda para Pessoa Física

O Projeto Salgueiro Social, do GRES Acadêmicos do Salgueiro, em parceria com o Centro Universário Internacional Signorelli, dá início neste mês de abril a...

Leia a sinopse do enredo da Portela sobre Milton Nascimento para o Carnaval 2025

Cantar será buscar o caminho que vai dar no Sol Uma homenagem a Milton Nascimento “Só quem toma um sonho Como sua forma de viver Pode desvendar o...

Três novos enredistas se juntam à equipe da Beija-Flor de Nilópolis para o Carnaval de 2025

A Beija-Flor de Nilópolis anuncia a chegada de três novos talentos que formam a equipe de enredistas para o Carnaval de 2025. Bianca Behrenda,...