InícioGrupo EspecialMarquinho Marino: ‘Somos uma escola grande. Respeitem a Mocidade!’

Marquinho Marino: ‘Somos uma escola grande. Respeitem a Mocidade!’

Diretor de carnaval fala sobre o processo do pré-carnaval e das expectativas para o desfile de 2023 e os boatos que rodam a escola

Após um ano com muitos problemas durante seu desfile o diretor de carnaval da Mocidade Independente de Padre Miguel, Marquinho Marino, fala sobre volta por cima da escola em 2023. Ele ressalta a importância do crescimento da agremiação durante esse período pré-carnaval, e como o enredo e o samba está ajudando nesse processo.

Foto: Allan Duffes/Site CARNAVALESCO

“A palavra é crescimento que gente está chegando no dia do carnaval da forma que imaginamos que o samba vai acontecer. A comunidade está feliz, a bateria comprou o barulho do samba também o mestre Dudu está arrebentando. O pré-carnaval da maneira certa, para chegarmos na avenida no auge”.

Sobre os boatos espalhados sobre a escola nesses últimos tempos, Marquinho se sente incomodado, porém ele afirma que a Mocidade é uma escola que tem muita história e uma comunidade forte e que essas palavras não podem atrapalhar o desenvolvimento da agremiação.

“Quem tem boca fala o que quer né, fala o que deseja talvez. A Mocidade Independente é uma escola muito forte, entendam isso, é muito fundamento, quesito e carnaval é isso, quesito e a Mocidade está fazendo direitinho cada um deles”.

O diretor também analisou o trabalho do carnavalesco Marcus Ferreira. Ele é o responsável pelo desenvolvimento do enredo “Terra De Meu Céu, Estrelas De Meu Chão”, que conta a história de mestre Vitalino e seus discípulos nas artes do Alto do Moura.

“Ele é meu amigo de anos, eu torcia muito para ele vim pra Mocidade, ele é torcedor da escola. A gente sempre torcia para ele vir para cá, se tornou um carnavalesco multicampeão. As referências dele como artista são muitos carnavalescos que passaram pela Mocidade, Renato Lage, por exemplo, acho que vai dar certo”.

Seguindo a linha do conjunto, outra parte muito importante para escola é o samba que, segundo o diretor, a comunidade e a bateria “abraçaram”. Sem contar com o canto do intérprete Nino do Milénio, que deu uma voz forte para o samba, fazendo todos cantarem com muita vontade.

“Eu acho que no ensaio técnico e o de apoio lá na Guilherme da Silveira, uma semana depois foi arrebatador. E, sem dúvida nenhuma, o Nino está demais, arrebentando dando a cara dele para o samba, ele já tem uma voz marcante. Traz jovialidade e fazendo a galera cantar com vontade e alegria. É muito bom para Mocidade, a gente precisa disso”.

Marquinho Marino foi enfático em afirmar que o pensamento é de título em 2023, desprezou as conversas paralelas sobre a escola, reconheceu mais uma vez os erros do último desfile, pediu respeito e ressaltou que a Mocidade é uma escola grande.

“Torço pro título, por que não? Por mais que esteja esse papinho aí, a Mocidade é uma escola grande. Ano passado, infelizmente, tivemos alguns problemas de desfile mesmo e técnicos, se não estaríamos lá em cima entre as três. Se não errarmos agora a tendência é ter a escola entre as quatros primeiras. Respeitem a Mocidade”.

- ads-

Flávio Campello celebra prêmio Estrela do Carnaval de 2024 da Tom Maior: ‘Nossa escola tem uma alma guerreira’

No carnaval de 2024 a Tom Maior realizou no Sambódromo do Anhembi um desfile que se destacou pela exuberância plástica. A criatividade no uso...

Rock in Rio e Diogo Nogueira levam projeto do Clube do Samba para o Global Village

Novidade na Cidade do Rock, o Global Village vai emocionar todo o público presente nesta edição que celebra os 40 anos de história do...

Wallace Palhares explica andamento das conversas para construção da Cidade do Samba 2

Presente na festa de premiação do Estrela do Carnaval 2024, no domingo, no Imperator, no Méier, o presidente da Liga-RJ, Wallace Palhares, discursou na...