InícioGrupo EspecialApós a pandemia, profissionais de saúde celebram a vida no desfile da...

Após a pandemia, profissionais de saúde celebram a vida no desfile da Viradouro

Com o enredo “Não há Tristeza que possa suportar tanta alegria”, que aborda o carnaval de 1919, a atual campeã Unidos do Viradouro foi a quinta escola a pisar na Marquês de Sapucaí. Em seu desfile, a Vermelha e Branca de Niterói, na sua quinta alegoria, “Liberty Club: A Ribalta da Vida”, homenageou todos os profissionais de saúde que atuaram na linha de frente da pandemia.

A alegoria, toda revestida em tons de branco e preto com cruzes vermelhas remetendo à saúde, retratava o clube em que, no carnaval pós-gripe espanhola, aconteceu um dos maiores bailes à fantasia. Para compor o carro, a Viradouro convidou profissionais que atuaram na linha de frente do combate à pandemia.

Em entrevista ao Site CARNAVALESCO, alguns desses profissionais falaram sobre o sentimento de ser homenageado pela escola e relataram a oportunidade de celebrar a vida, após a pandemia. Um deles, o médico Heitor Ribeiro, se disse emocionado ao pisar novamente na Sapucaí após dois anos.

“É uma grande emoção. Nós somos um grupo de médicos, 15 médicos que atuaram na linha de frente desde a época do Covid. É muita felicidade estar aqui porque quando eu comecei a trabalhar, pensava que nunca mais aquilo ia ter fim e hoje, celebrar a vida em um desfile, poder festejar, é de grande emoção, grande valia. Valeu a pena cada esforço”, destacou.

A nutricionista Meire Cristina, que também contribuiu na linha de frente da pandemia, falou sobre a importância de, após tanto sofrimento, realizar a festa do carnaval. Ela, que pisou pela primeira vez na avenida, ressaltou a importância de celebrar a vida.

“É muito gratificante, depois de todo esse período que nós passamos. Foi uma passagem muito triste, vimos muita coisa acontecendo, muita gente morrendo, tivemos que abandonar nossas famílias para poder estar participando do enfrentamento no dia a dia. Hoje, recebendo essa homenagem aqui, não tem como agradecer a Viradouro. Só quem viveu de perto, pode dizer o que foi. A gente escuta muita coisa aí, muitas pessoas dizendo que era mentira. Mas, quem estava ali no dia a dia pode perceber que foi sério. E hoje, apesar de algumas pessoas serem contra o carnaval, a gente tem que agradecer a vida. Temos que agradecer a todo momento e celebrar a vida”, disse.

Bastante animada no desfile da Viradouro, a enfermeira Natália Guimarães, também estreante na avenida, elogiou a fantasia desenvolvida pelos carnavalescos Tarcísio Zanon e Marcus Ferreira. “É um sonho realizado estar aqui, depois de todo esse período da pandemia. A fantasia é maravilhosa, tudo de bom.”

- ads-

Elogiado e recomendado no passado por Laíla, Marquinho Marino fala da chegada na Beija-Flor: ‘sei do tamanho e magnitude’

Considerado um dos melhores diretores de carnaval do Rio de Janeiro, Marquinho Marino chegou na Beija-Flor. Em entrevista especial para o site CARNAVALESCO, ele...

Após sexto lugar, componentes da Vila Isabel estão de cabeça erguida, cientes dos décimos perdidos no casal e prometendo disputar o título em 2025

A Vila Isabel terminou o Carnaval de 2024 em sexto lugar. A escola apostou na rredição de "Gbalá - Viagem ao templo da criação"....

Casinolobster: Os melhores casinos do Brasil

Os jogos de cassino têm se tornado cada vez mais populares no Brasil, e com isso, surgem diversas opções de cassinos online para os...